Na noite da última segunda-feira (13), a atriz Christiane Torloni e sua mãe, Monah Delacy, foram as convidadas do programa de entrevistas "Conversa com Bial", comandado pelo jornalista e apresentador Pedro Bial, que vai ao ar de segunda a sexta-feira logo após o "Jornal da Globo".

Durante a entrevista, a artista relembrou um episódio delicado de sua vida: a morte precoce de seu filho Guilherme. O fato ocorreu no ano de 1991, quando o rapaz tinha apenas 12 anos e se envolveu em um trágico acidente de carro.

Publicidade
Publicidade

Torloni conta que foi criada para viver intensamente todas as emoções, inclusive o luto, que é algo natural e que faz parte da jornada do ser humano. Depois da perda do filho ela preferiu se recolher já que, segundo a atriz, a dor de certa forma humilha as pessoas por estarem expostas.

A artista reforça que as pessoas do seu convívio cobravam para que ela ficasse bem, alegre, e retomasse suas atividades. No entanto, Christiane Torloni vivia uma fase de transtorno emocional que chamou de "decomposição interna".

Publicidade

Foi pensando assim que Christiane tomou a decisão de se mudar para Portugal, a fim de se restabelecer emocionalmente. Na época, a atriz passou três anos no país europeu ao lado do seu filho Leonardo, irmão gêmeo de Guilherme. Hoje, Leonardo Carvalho tem quase 40 anos e também segue a carreira de ator.

Os gêmeos são fruto do relacionamento de Christiane Torloni com o ator e diretor Denis Carvalho. No início deste ano, o diretor também falou sobre a fatalidade durante uma entrevista no programa "Domingão do Faustão".

Para Denis, perder um filho foge da hierarquia natural da vida, e uma tragédia como essa que viveu o fez crescer como ser humano.

A ex-mulher de Denis e mãe de Guilherme, o falecido, ressalta que esse período de resguardo longe do Brasil e mais próxima do filho sobrevivente foi importante a ponto de compreender que voltar aos palcos era o melhor caminho, uma vez que, para a atriz, a arte tem poder de cura quando abrimos espaço para ela.

A avó dos garotos revela que viveu o luto de outra forma.

Publicidade

Durante o bate-papo, Monah conta que naquele momento preferiu ficar reclusa em sua casa em Petrópolis (RJ). Em seguida deu um novo sentido a sua vida quando passou a dar aulas de teatro.

Arte e política

A atriz aproveitou a oportunidade para divulgar o seu novo filme em cartaz, intitulado "Amazônia - O Despertar da Florestania". Torloni conta que para produzir a película enfrentou algumas dificuldades, porque para conseguir algumas das imagens ela precisou solicitar diversas autorizações.

Publicidade

Segundo ela, o país está sofrendo com a precariedade das fundações, o que interfere na distribuição de informação e conhecimento.

Aos 89 anos, Monah Delacy também não vê com bons olhos a situação atual do país. A senhora defende que o patrimônio cultural construido ao longo dos últimos anos está sendo corroído. Para completar, disse ainda que a população deveria reagir protestando nas ruas. "Sorrateiramente cortam daqui, dali e as pessoas não reagem, se acomodam", reclamou.

Leia tudo e assista ao vídeo