Até o presente momento, a Polícia ainda não conseguiu localizar o paradeiro do médium João de Deus, mas os investigadores que estão analisando o caso já descobriram que ele chegou a movimentar cerca de R$ 35 milhões de suas contas bancárias. Quando as denúncias sobre abuso sexual tiveram início, começaram as movimentações nas contas que estão no nome do médium.

Por causa desta descoberta, a polícia de Goiás e também o Ministério Público do estado estarão empenhados em acelerarem o processo para que a prisão de João de Deus seja realizada o quanto antes.

Publicidade
Publicidade

O médium tinha várias aplicações em algumas instituições bancárias e o dinheiro já foi retirado de lá.

No sistema de Conselho Nacional de Justiça já encontra-se disponível a ordem de prisão contra João de Deus, sendo assim, autoridades policiais de qualquer região do Brasil poderão efetuar a prisão do sujeito, independente do estado em que ele se encontra.

Médium é um foragido da Justiça

O Ministério Público já considera o médium como um foragido da Justiça, mas a Polícia Civil ainda não adotou este termo porque tenta negociar a apresentação do sujeito na noite deste sábado (15).

Publicidade

André Fernandes, delegado geral da Polícia Civil, informou que a rendição até já teria sido confirmada pelos advogados de defesa, mas ainda não foi revelado o local e muito menos o horário.

João de Deus é suspeito de abusar sexualmente de centenas de mulheres durante as sessões espirituais que ele realizava. O acusado nega todos os crimes que lhe estão sendo atribuídos.

A última vez que João de Deus apareceu em público foi na última quarta-feira (12), quando ele compareceu à casa Dom Inácio de Loyola, mas ficou lá só por alguns minutos e saiu em seguida.

Um advogado de defesa está temeroso pela integridade de seu cliente na prisão, pois teme que devido às centenas de acusações que estão sendo feitas contra ele, outros presos possam agredi-lo.

O advogado Toron disse que a ordem de prisão é "inaceitável", uma vez que a defesa não teve acesso ao pedido de prisão feito pelo Ministério Público Estadual de Goiás e nem sabe o "teor do depoimento das vítimas".

Uma nota foi divulgada na tarde deste sábado (15), pelo Ministério Público do Estado de Goiás informando que João de Deus já é considerado um foragido, pois não foi encontrado em nenhum dos endereços onde costuma ficar e nem compareceu no prazo de 24 horas após a ordem de prisão.

Publicidade

Até a Interpol poderá ajudar na prisão de João de Deus, caso ele saia do Brasil.

Leia tudo e assista ao vídeo